Você está em Diversos

Os 10 maiores mitos sobre xadrez

As pessoas, especialmente os próprios jogadores de xadrez, dizem os maiores absurdos sobre o jogo e sobre os jogadores de xadrez.

Aqui estão alguns dos nossos mitos preferidos sobre o jogo da realeza.

Alguns desses ditos são definitivamente falsos, outros são opiniões desinformadas, e uns tantos são controvérsias, que podem ou não ser verdadeiras.

É difícil aprender xadrez

Xadrez pode não ser o jogo mais fácil de aprender, mas está longe de ser o mais difícil. O jogador deve aprender o movimento de seis peças, das quais a de menor valor, o peão, tem os movimentos mais complicados. Então deve aprender as regras sobre o ataque e a defesa do rei, tais como o Roque.

Deve-se aprender também algumas regras sobre partidas em que nenhum jogador ganha. Um aspecto do mito é verdadeiro: é difícil, muito difícil, aprender a jogar xadrez bem. Um jogador a cada cem alcança a maestria.

O xadrez tem milhares de anos

Pode-se datar os antecessores diretos do xadrez, com segurança, em torno de 600 d.C.. Com isso o jogo teria 1400 anos, e caso ele sobreviva por mais 100 anos, poderia-se arredondar para 2000, permitindo dizer que o jogo tem “milhares de anos”.

O xadrez como conhecemos, com os movimentos modernos da Rainha e do Bispo, podem ser datas seguramente no fim do século XV, na época em que Cristóvão Colombo descobriu a América. Dessa forma, o xadrez moderno tem pouco mais que 500 anos.

Xadrez é uma perda de tempo

Não é exatamente um mito, é melhor classificado como uma opinião. Claro, xadrez é “apenas um jogo”. Porém, diferente de muitos jogos, o xadrez incorpora elementos de lógica e arte. E se lógica e arte são perda de tempo, então o xadrez também é.

Na sociedade moderna, tudo que não for relacionado com o desenvolvimento econômico parece perda de tempo para alguns. Para essas pessoas, xadrez certamente é uma perda de tempo. Então que seja! Cada um é livre para escolher seus prazeres na vida.

É preciso ser inteligente para jogar xadrez

Há uma certa relação entre a habilidade no xadrez e a inteligência em geral, no entanto o mínimo de inteligência é necessário. Cães e gatos nunca irão aprender o básico, e ninguém jamais tentou ensinar golfinhos e chimpanzés.

Xadrez, no final das contas, realmente envolve o uso de vários compartimentos avançados do cérebro da maneira mais eficiente possível. Pessoas de todos os tipos jogam xadrez, muitos alcançando maestria. Algumas pessoas muito inteligentes gostam de jogar xadrez, mas  nunca passam do nível iniciante.

Xadrez é para nerds

Na verdade, isso não é um mito, já que xadrez é para todos. Xadrez é para nerds, geeks, crânios, ratos de laboratório, tanto quanto para qualquer outra pessoa. Aqueles que dizem que “xadrez é só para nerds”, o fazem na tentativa de insultar outros, mas isso é totalmente errado.

E mesmo se fosse verdade, o que é que tem? Pessoas inteligentes, esquisitas, peculiares, contribuíram mais para o avanço da humanindade que o resto. Se eles quiserem jogar xadrez, é problema deles.

Xadrez foi resolvido por computadores

Computadores tem tido avanços impressionantes e vem fazendo progresso nas aberturas e finais de xadrez. A teoria de abertura se estende além dos 10-15 movimentos das aberturas populares, finais de até 5 peças (contando com os dois Reis) foram resolvidos perfeitamente por bancos de dados gigantes, e finais de seis peças ainda guardam seus segredos.

Em contraste, os computadores fizeram pouquíssimo progresso em desvendar as complexidades que se encontram entre a abertura e o final da partida. Xadrez não é um jogo simples.

Como referenciar: "Mitos" em Só Xadrez. Virtuous Tecnologia da Informação, 2013-2019. Consultado em 20/11/2019 às 19:37. Disponível na Internet em http://www.soxadrez.com.br/conteudos/mitos/