Objetivo
 Tabuleiro e Peças
 Movimentos
 Mov. Extraordinários
 Fases do Jogo

 História do Xadrez
 Dicas
 Escolas de Xadrez
 Enxadristas Famosos
 Glossário

 Modalidades de Xadrez
 Variantes
   Chaturanga
   Shatranj
   Xadrez Bizantino
   Xadrez Capablanca
   Grande Acedrex
   Jogo de Gala

 Fund. da estratégia
 Fund. da tática

 Notação algébrica
 Notação descritiva
 Notação numérica
 Notação Forsyth

 Partidas Analisadas
 Organizações
 Campeões Mundiais
 Eventos
 Títulos
 Biblioteca de Xadrez
 Curiosidades
 Fotos Históricas
 Papéis de Parede
 Vídeos
 Filmes
 Mitos
 Laifis de Xadrez
 Fale Conosco

 


 

 

Notação Enxadrística

Os sistemas de notação de xadrez foram desenvolvidos ao longo do tempo devido à necessidade de anotar as jogadas de modo rápido e preciso, fosse para estudar lances de uma partida depois de terminada, fosse para explicar jogadas.

O primeiro livro teórico de xadrez, publicado em 1561 pelo “pai da teoria”, Ruy Lopez, tinha todas os lances anotados em uma escrita longa e que poderia confundir um leitor mais desatento, além de ser demasiado trabalhoso. Veja abaixo:

“ [...] se as negras jogarem o cavalo de rey para a terceira fila do bispo para tomar o peão.”

Com o tempo os autores de livros passaram a usar o que veio a ser o que conhecido como notação descritiva, na qual cada coluna recebe o nome da peça que originalmente ocupa a primeira casa. No entanto, o primeiro sistema de notação só veio a ser desenvolvido em 1737 por Phillip Stamma, que propôs a notação através de coordenadas baseadas em letras e números correspondentes às colunas e fileiras do tabuleiro.

Apesar da notação descritiva ser encontrada em muitos bons livros de teoria enxadrística, a notação algébrica, que segue os princípios estabelecidos por Stamma, é a forma aceita pela FIDE para os campeonatos e torneios oficiais. Além de ser mais fácil, com o uso das estatuetas no lugar das letras que simbolizam as peças, é um notação internacional, sendo entendida por jogadores em todo o mundo.
Veja abaixo os diferentes tipos de notação em detalhe.

 

Notação algébrica

O sistema de notação algébrica é o mais utilizado e aceito em competições oficiais, sendo o sistema adotado pela FIDE. Esse sistema substituiu a notação descritiva a partir de 1970, apesar de ter sido idealizado séculos antes por Phillip Stamma, em 1737. O sistema só não foi implantado antes devido à influência de Philidor, que derrotou Stamma em uma notável partida em 1747,  e cuja abordagem era descritiva. Dessa forma a notação descritiva seguiu por um longo período, até que o sistema de Stamma foi melhorado e passou a ser adotado pelas organizações de xadrez pelo mundo.

No sistema de notação algébrica as colunas são identificadas por letras (a a h), enquanto as linhas recebem numeração (1 a 8). As peças são identificadas pela sua inicial maiúscula, porém essas iniciais mudam de acordo com a língua do jogador. Para evitar confusões devido à troca das iniciais das peças, é comum em periódicos ou livros de xadrez que se use a estatueta correspondente. Em português as peças são representadas da seguinte maneira:


O Rei é representado pela letra R.

A Rainha é representada pela letra D, de Dama, já que R significa Rei.
A Torre é representada pela letra T.
O Bispo é representado pela letra B.
O Cavalo é representado pela letra C.

Os peões não são representados pela letra inicial, sendo reconhecidos pela falta dela. Em casos em que seja necessária a distinção, a coluna onde ele se encontra é assinalada.

Curta nossa página nas redes sociais!

 

 

Mais produtos

Sobre Nós | Política de Privacidade | Contrato do Usuário | Fale Conosco

Copyright © 2013-2017 Só Xadrez. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por Virtuous.